segunda-feira, novembro 14, 2005

?????

Unity Jump

Rogers Charles
_______________________________

"Na opinião da ministra há questões que têm de ser clarificadas, mas nada que se aproxime da exigência de suspensão, na medida em que, referiu, os órgãos de gestão sentem-se "confortados" com estes dois despachos." (Despachos 16795/2005 e 17387/2005) (Reunião FENPROF / M.E. de 11 de Novembro de 2005)

"Confortados"???!!! Não será que a Srª Ministra está mais uma vez a generalizar, contente, a partir de alguns eventuais casos confortáveis? (Que o meu CE não está nadinha confortado, isso sei; mas sobre tudo o mais desta presente história, já não sei nem o que sei nem o que não sei)

4 comentários:

f... disse...

Olá, isabel!
O problema é que aparentemente os CEs estão mesmo “confortados”!!!
Perguntei, ao meu CE, se, nas reuniões tidas com a ME, os CEs tinham posto a questão do descontentamento dos professores e as razões desse descontentamento e o facto é que ninguém as colocou. Creio que eles pensam que ao transmitir esse descontentamento estão a pôr em causa a qualidade da sua gestão. Ora, isto são problemas diferentes. A escola pode estar a funcionar "bem", dentro dos parâmetros propostos pelo ME, e a gestão dos CEs não estar em causa. Penso que eles deviam transmitir, nessas reuniões o que se sente nas escolas, o que falta nas escolas, a impossibilidade de comparar sucessos/insucessos em termos de rankings, e tantas outras coisas que não são tidas em conta pelos srs do ME, quer no seu destempero legislativo, quer no seu destempero verbal nos OCS.

IC disse...

Olá f... :)
De facto, no actual modelo de gestão, os CEs deixaram de ser conselhos directivos para passarem a c. executivos, o CP perdeu quase todo o papel deliberativo para ser orgão meramente consultivo e o orgão máximo, a Assembleia, não tem papel praticamente nenhum pois acaba por reunir de longe em longe para pouco mais fazer que aprovar documentos como o Projecto Educativo e o regulamento interno. E os presidentes estão sobrecarregados com todos os problemas não já de uma escola, mas de um agrupamento, restando-lhes pouca disponibilidade e espaço para pensarem e viverem as questões pedagógicas. MAS ISTO NÃO PODE FAZER ESQUECER que são professores, que já deram e voltarão a dar aulas e, sobretudo, que, como eleitos (que ainda são), têm que representar os seus professores e que a prioridade numa escola é a vertente pedagógica, não a administrativa.

IC disse...

P.S. A sobrecarga com os agrupamentos (que bem vejo quanta é na minha escola 2,3), nem se estende, aliás, às E. Secundárias.

AnaCristina disse...

O meu CE está tudo menos 'confortado', 'conformado' e/ou 'confortável'... Aceitam as reclamações e transmitem-nas. Eu já assisti a discussões com as chefias superiores da DRE...

Mas às vezes são os professores que se esquecem que no CE também estão professores!!