sexta-feira, setembro 19, 2008

Não lhes estraguem o prazer de ler!



As minhas netas mais pequenitas gostam muito de ler desde que aprenderam a ler. A Inês está no 5º ano, e a Lionore na 3ª classe (esta lá longe, que eu tenho duas netas suiças).
Rubem Alves suscitou-me o que escrevi em título. (Faço uns cortes no seu texto(*) só porque não se devem pôr escritos longos nos blogues)





«Uma das minhas alegrias são as cartas que recebo das crianças. Escrevem-me a propósito dos livros infantis que escrevi. (...)
Pois eu recebi uma carta de um menininho. Não vou revelar o nome para não o comprometer diante da professora. Li a cartinha dele tantas vezes que já a sei de cor. Transcrevo:
"Prezado Rubem: (...) Li o seu livro O patinho que não aprendeu a voar. Eu gostei, porque aprendi que liberdade é fazer o que quer muito mesmo. Escreva para mim. E eu tenho uma professora demais. Com todos os livros que a gente lê ela manda fazer ditados, encontrar palavras com dígrafo, encontro consonantal e encontro vocálico."
A minha alegria inicial foi interrompida por um estremecimento de horror: eu não sei o que é dígrafo! Meu Deus! Ele, um menininho de nove anos de idade, já sabe o que é dígrafo. E eu não. Dígrafo tem de ser uma coisa muito importante, essencial, para ser incluído no currículo de um menininho de nove anos de idade. Com certeza é necessário conhecer o dígrafo para ser iniciado nos prazeres da leitura, que é a única coisa que importa. E eu não sabia disso. (...)
Quando eu estudei acho que a palavra "dígrafo" ainda não tinha sido inventada por algum gramático, como resultado de uma pesquisa linguística e uma tese. Mas os infinitamente variados nomes da análise sintáctica já existiam, embora não fossem os mesmos que existem hoje. (...) A análise sintáctica ensinou-me a ter raiva da literatura. Somente muitos anos mais tarde, depois de ter esquecido tudo o que aprendera na análise sintáctica, aprendi as delícias da língua. Aí, parei de falar os nomes anatómicos dos músculos da amada. Lia e entregava-me ao puro gozo de ler.»
__________
(*)Rubem Alves. Gaiolas ou asas. Edições Asa (2004), pp. 23-26.
Quadro: Jessie Wilcox-Smith

3 comentários:

3za disse...

:)
Beijinhos

Madalena disse...

Este texto tocou-me na minha memória dos Lusíadas. Quando os aprendi, no Liceu, preocupava-me com a divisão de orações e com as orações que começavam na primeira estrofe e vinham por aí abaixo para se continuarem longe qaundo já a ideia já parecia perdida. Não é coisa de menino não. De menino é gostar! Gostar muito das palavars que têm um super poder de nos fazer rir, chorar e mais qualuqer coisa do foro da emoção. Os Lusíadas que li para saber são outros. Beijinhos, Isabel!
(O Diogo ficou na tua escola!16 h)

henrique santos disse...

Isabel
há uma Campanha de Solidariedade com Cuba para responder às necessidades prementes de alguns bens essenciais decorrentes da devastação dos últimos furações que por ´lá passaram. Pelo menos aqui no Porto está activa essa Campanha. Se puder divulgue. A blogosfera e blogs de grande audiência como este podem jogar papel fundamental.

"Amigos(as)

Aqui segue uma lista de instituições que se encontram a recolher os bens alimentares para ajuda ao povo cubano.
O primeiro avião com alimentos parte no dia 24 de Setembro, na próxima 4ª feira.
Ainda temos tempo para fazer chegar uma primeira ajuda a estes locais.
Depois deste outros se seguirão.
Toda a nossa disponibilidade solidária é importante!

Refiro os alimentos necessários:
- leite em pó
- massa
- arroz
- conservas

beijinhos a todos
Manuela Silva

locais de recolha de alimentos:


PORTOCOMCUBA
Rua Barão Forrester, 790
4050-272 Porto
Telefones: 962 539 884 / 966 316 201 / 938 460 221


Casa Sindical de Vila do Conde
Rua do Lidador, 46 - R/C - 4480-791 VILA DO CONDE - Telef. 252631478


Sindicato do Comércio, Escritórios - CESP (Delegação Porto)
Rua Fernandes Tomás, 626 - 4000-211 PORTO - Telef. 222073050

Delegação do CESP na Póvoa de Varzim
Rua da Junqueira, 2 - 4490-519 PÓVOA DE VARZIM - Telef. 252621687


CASA SINDICAL (TVC)
Av. da Boavista, 583 - 4100-127 PORTO - Telef. 226002377


Sindicato dos Professores do Norte
Rua D. Manuel II, 51-3.º - 4050-345 PORTO - Telef. 226070500


Sindicato da Construção e Madeiras
Rua de Santos Pousada, 611 - 4000-487 PORTO - Telef. 225390044


Casa Sindical de Santo Tirso
Rua Tomás Pelayo, - 4780-557 SANTO TIRSO - Telef. 252855470


União Local de Felgueiras
R. dos Bombeiros Voluntários, R/C - Esq.-T. - FELGUEIRAS - Telef. 252631478


Casa Sindical USP
Rua Padre António Vieira, 195 - 4300-031 PORTO - Telef. 225198600



Casa da Paz - (Secretariado permanente da Campanha)

Rua Rodrigo da Fonseca, 56 - 2º - Lisboa (perto do Marquês de Pombal)
Contactos
Telefones: 213 863 375 / 213 863 575
Fax: 213 863 221
Telemóveis: 962 022 207, 962 022 208, 966 342 254, 914 501 963









Campanha de ajuda humanitária ao povo de Cuba


Porto mobiliza-se para a ajuda ao povo de Cuba


A PORTOCOMCUBA, organização promotora da campanha de ajuda humanitária ao povo de Cuba lançada em Portugal na sequência da dramática devastação provocada pela passagem de dois furacões e uma tempestade tropical, apelou hoje em conferência de imprensa, à mobilização de todos os portugueses em torno do objectivo de, até dia 24 de Setembro, se reunir o maior número de embalagens de Leite em pó, massa, arroz e conservas para a ajuda imediata ao povo cubano.

A PORTOCOMCUBA reafirmou que sempre esteve e sempre estará solidária com o povo cubano nos momentos mais ou menos difíceis da sua história, e que assumirá a ajuda fraterna nesta circunstância de maior necessidade. Apelou ainda à compreensão geral da população em relação a estas necessidades imediatas do povo cubano.

_______________________________________________________________


A União de Sindicatos do Porto também se solidarizou com a campanha de recolha de alimentos para as vítimas dos furacões em Cuba, levada a cabo pela Comissão PortoComCuba."