sábado, setembro 13, 2008

Associações de ideias...

Vim daqui da Teia da 3za já passava das duas e meia da manhã, mas o que lera fazia-me querer deixar aqui umas linhas, e não, não queria palavras minhas porque com as minhas eu não saberia dizer o que queria. E então fui folhear o Diário de Sebastião da Gama, e depressa encontrei um bocadinho da ponte que queria...

"A aula passada ao papel fica sempre mesquimha. A aula de Português acontece, como atrás ficou dito em letras grandes; mas acontece , acontece na sala 19 e não aqui, neste papel aos rectângulozinhos. Depois, eu não sei inventar nem doirar; e há uns tempos para cá nem sequer sei reproduzir - ando doente da mão." (...)
"Pertinho da sala 19 mora um pintassilgo (ou pássaro que o valha...). Volta não volta lá se põe ele a cantar e é um gosto ouvi-lo: há alegria, há ternura na sua cantiga, Por importante ou urgente que seja o que estou dizendo, é muito mais importante e muito mais urgente ouvir o pintassilgo: quebro, mal o oiço, ou a frase ou a palavra ao meio. Todos escutam." (...) (*)

As minhas associações de ideias talvez não sejam muito claras, para mais a esta hora da noite, mas acho que a 3za me percebe ;)
______
(*) Sebastião da Gama. Diário. Edições Ática, 1958, pp 67-68, 75-76

2 comentários:

3za disse...

Oh Isabel...
Percebo tão bem...
E comovi-me...
Porque é exactamente isso... e a ternura não se escreve. O que acontece entre nós e eles não há papel nenhum que capte, grelha nenhuma que alcance.
Obrigada.
Muitos beijinhos

ana paula pinto disse...

Yes! Tanto o post da Isabel como o do Tempo de Teia lembram "as pessoas que moram nos alunos". E nos professores. A humanidade dos processos.Anda tudo tão embrulhado em papéis que quase não se vê.
Numa sessão de formação dirigida a professores foi apresentada a sequinte citação de um senhor Peter Drucker: "Como poderemos mostrar desempenho? Medindo...Se quiser alguma coisa, meça-a, se não conseguir medir, esqueça-a."
Gosto de passar por aqui e encontrar calor humano.Um abraço.