sábado, setembro 27, 2008

Auto-estima (estória)

Agora gosto de mim

Tive uma grande sensação de alívio quando comecei a entender que um jovem precisa de mais do que apenas um assunto. Sei bem matemática, e a ensino bem.
Eu achava que isso era tudo o que precisava fazer. Agora, ensino crianças, e não matemática.
Aceito o facto de que posso ter sucesso apenas parcial com algumas.
Quando não tenho que saber todas as respostas, parece que consigo ter mais respostas do que quando tentava ser o especialista.
O jovem que realmente me fez entender isso foi Eddie. Certo dia, perguntei-lhe por que achava que estava muito melhor do que no ano anterior. Ele deu sentido a toda a minha nova conduta.
"É porque agora gosto de mim quando estou com você", disse ele.


1 comentário:

Miguel Pinto disse...

"Agora, ensino crianças, e não matemática."

A Matemática é instrumental, como todas as outras discipinas académicas. Não sei se esta evidência [para alguns, digo eu] se eternizará nas escolas do "Magalhães". ;)