sexta-feira, junho 16, 2006

End

Pelo andar da caravana, é pouco provável que a manifestação do dia 14 tenha sido a última em que participe. Mas a greve, essa sim, foi a última, pois ninguém pode fazer greve quando deixa de ter patrão ou serviço a que faltar. Nem por solidariedade, nem por luta pelas crianças, pelo seu futuro e futuro do país em que vão crescer e viver, mesmo que entre elas estejam os próprios netos.
Hoje foi o meu último dia de escola - por um acaso, até sem ter que assinar livro de ponto, dado ser o meu dia livre. Terminei o que determinara cumprir, o que me levara a não pedir a aposentação (a que tenho direito desde meados do ano lectivo anterior) logo depois daquelas reuniões de avaliação do 1º Período em que, em vez de se falar de alunos e estratégias convergentes, se preencheu papelada, cada um os seus compartimentos em papeis a rodarem.
Hoje dei a segunda das duas aulas suplementares, já não oficiais, que combinara com os meus nonos anos. O meu oitavo também tem o programa praticamente completado e a avaliação feita (e sem pressas
).

Agora, antes de mais, vou cuidar de mim, já que algumas gotas de água me fizeram transbordar no ponto a que, chame-se-lhe o meu "calcanhar de Aquiles", sou mesmo sensível - as crianças ou adolescentes que não deixam de ser também ainda crianças - pelo que o meu estado durante os últimos oito dias justifica (e, ao olhar mais lúcido do meu médico, impõe) que coisas já não importantes me não atrapalhem o regresso a bom estado.

15 comentários:

henrique santos disse...

Colega
desejo-te as maiores Felicidades para o Futuro.

Miguel Pinto disse...

Sugiro uma alteração ao título desta entrada: humm.... Até já. Ah, já me agrada mais... Sabes melhor do que eu que a acção de um(a) professor(a) não se esgota na actividade lectiva.
Até já, Isabel, e uma boa recuperação. :)

Avozinha disse...

Bem, colega, estou quase com inveja... Terei que esperar mais uns anitos (sabe Deus quantos) para deixar o meu ligar às gerações mais jovens. Boa aposentação!

Rui disse...

E assim se vão empurrando para fora os e as melhores de nós! O país assiste indiferente. É triste. Mas eu saúdo-te, Isabel, nesta tua despedida, porque a honra, essa, nunca a podem roubar a quem lutou uma vida inteira por a merecer! Um abraço!

Teresa Lopes disse...

Esperam-te dias de paz, de sossego e de tranquilidade da alma. Não é o Fim; é o Começo!
Um beijinho

TsiWari disse...

E de pé. Como as árvores. Sempre.

P.S. - Posso confessar-te uma coisinha? Intui-te. Gostei-te! Bjo amigo.

Madalena disse...

Isabel, gostei de ler este ponto da situação. A vida é dinâmica e isso é bom! Beijinhos, Isabel!

emn disse...

Um bom fim de semana... :)

adkalendas disse...

Parabéns
Por aquilo que tenho percebido aqui tem sido uma carreira bem preenchida, com empenho, paixão e competência.
Precisamos de muitos professores assim.
Espero que continues a conversar por aqui.
Eu vou continuar na Escola por muitos anos, e agora são cada vez mais...
Mas o que é preciso é continuar.
Um beijo

Tit disse...

Parabéns Isabel. Não pelo fim, mas pelo percurso que deu para conhecer um pouco por aqui. Sobretudo por esse amor com que falas das crianças/adolescentes e do desafio que é contribuir para o seu (e o nosso) desenvolvimento enquanto pessoas aos mais diversos níveis. Esse amor que não se aprende em formações, que não se determina nos Despachos, que por vezes se dilui em modelos burocráticos.
Parabéns por nos lembrares que o sentido primeiro e último está exactamente nos alunos. No seu crescimento. No seu ser.
Precisamos que nos lembrem disso todos os dias, para não nos perdermos afogados em papeis a rodar.
Beijinho e até já - continuamos a contar com as tuas ideias e experiência por aqui :)

Amélia disse...

Amiga: vai ver que não é assim tão mau continuar a ser professor (quem o é nunca deixa de o ser, por outras formas).Que o seu tempo de não docência seja também e sempre de estar viva e atenta, como tem sabido estar.E o melhor prémio para quem trabalhou entusiasticamente (entusiasmo significa deus em nós)é reencontrar antigos alunos e vê-los grandes e decentes - e guar
dando uma boa recordação do encontro que tiveram connosco.Di-lo quem já o tem experimentado e julga saber do assunto...
Continuarei a passar por aqui, amiga.

soledade disse...

Tudo de bom,IC. As sementes continuarão a germinar e das novas flores novas sementes...

Levy disse...

Por aquilo que me tenho apercebido, foste exemplar até ao fim. E por aquilo que tenho visto, não virão muitos como tu.
Felicidades. :-)

3za disse...

Querida Isabel, embora com atraso... venho sugerir também um título novo:
The beginning...
Porque sei que não acabaste nada, começas agora uma outra forma de viver a aventura do ser pessoa e professora por dentro e por fora SEMPRE. Quem veste acamisola como tu fica com ela agarrada ao corpo... E agora chega o tempo de outras coisas eternamente adiadas... Aproveita cada uma delas!
Beijo enorme!

Kamikaze Kid Terry Robins disse...

E morte aos profs....