quarta-feira, junho 28, 2006

E para esquecer o Plano de Acção para a Matemática...

... Um visual novo (obrigada, Miguel) e um poema à Matemática.

Ai, o ponteiro da tortura

naquela sala

que a matemática tornava mais escura

em vez de iluminá-la.

Felizmente só o nada-de-mim ficava lá dentro

O resto corria no pátio-em-que-nos-sonhamos,

pássaro a aprender os cálculos do vento

aos saltos do chão para os ramos.

Mas só quando voltava para casa à tardinha

encontrava a minha verdadeira matemática à espera

na lógica dura das teclas do piano,

no perfil-oiro-pedra da vizinha,

na flauta de água macia do tanque

- chuva de Mozart nos zincos da Primavera...

Matemática cantante.

José Gomes Ferreira

5 comentários:

adkalendas disse...

Excelente visual!
Parabéns :)

Quiron disse...

Quem precisava de um plano para a Matemática era a burrocracia do Ministério. Pois não é que este ano obrigam a ir à prova oral alunos que tiveram 4 na escrita, sendo que a oral tem uma ponderação de 30%! Para serem aprovados na oral estes alunos precisariam de tirar 22 valores; e como nestas circunstâncias o mais provável é que não pusessem lá os pés, o Ministério proibe que as classificações das escritas destes exames (não são todos, atenção!) sejam afixadas.
Afinal retiro o que disse no princípio deste comentário: o que faz falta lá para as bandas da 5 de Outubro é um Plano Nacional para a Lisura.

TsiWari disse...

e da (penso eu, se a memória não me falha) Matilde Rosa Araújo :

Sentadinhos nas carteiras fazem contas de somar.
E a vida toda lá fora,
a vida toda a chamar!
- Senhora, olhe prá vida deixe as contas de somar! ...

AnaCristina disse...

Adorei o visual novo.

Prof. Teresa disse...

Que bonito.... também prefiro. Bom fim de semana!