quarta-feira, maio 07, 2008

Pequenos poemas que me tocam depois das memórias

Eu e os "meus" haikus... Mas eles exprimem momentos, estados de espírito... E eu fico assim como que sem presente quando escrevo memórias de professora... memórias de um tempo que já só é passado...

Mando embora a tristeza, mas, primeiro, preciso destes pequeninos poemas que a expressam...

sementes de algodão
agora são de vento
as minhas mãos

Nenpuku Sato

Dias que se alongam —
Cada vez mais distantes
Os tempos de outrora!

Buson



Este caminho!
sem ninguém nele,
escuridão de outono.
Bashô

3 comentários:

LeniB disse...

Gostei especialmente do Bashô!

arte por um canudo 2 disse...

Memórias que se alongam em momentos belos.

Anónimo disse...

adorei