sábado, março 07, 2009

Um exemplo de dedicação

O festival decorreu esta semana no Teatro da Malaposta em Odivelas.
A CEDEMA é um um centro escolar para alunos maiores de 18 anos portadores de deficiência mental.
A convite de uma amiga, mãe de um aluno dessa escola, tive oportunidade de ser testemunha do que conseguem a dedicação e o amor. Sim, porque dedicação e amor formam o selo que se sente colado à amostra que vi dos trabalhos produzidos pelos alunos da CEDEMA, todos adultos mas todos como crianças ainda - desde a peça de teatro que representaram até aos trabalhos manuais expostos. Destes segue-se abaixo uma pequenina amostra, mas o que não dá para mostrar aqui são os afectos que senti em todo aquele ambiente. Os professores são quase todos ainda jovens e quem como eu teve oportunidade de estar na maravilhosa iniciativa que foi este festival apercebe-se de imediato que para eles a profissão é também uma missão, assim como se apercebe que aqueles alunos diferentes mas integrados e felizes adoram esses seus professores. Se tivesse que escolher uma só palavra para caracterizar o que testemunhei, eu diria simplesmente: Afecto. Mas como posso usar mais palavras, acrescento: Trabalho, Dedicação, Amor, Persistência, Cuidado, Inclusão, Cidadania, Vida.

5 comentários:

rabina disse...

Respeitável IC:
Vi, apreciei e gostei. São trabalhos de alunos orientados por profs. que optaram e que gostam do que fazem.
O que eu queria transmitir no Terrear era que hoje , mais do que nunca, é preciso fazer um esforço por acompanhar as rápidas mudanças que se estão a operar na Educação (se bem que algumas demasiado radicais).
Os docentes não podem continuar impávidos à espera que o tempo passe; têm que ser actores, mais dinâmicos e participativos,consciencializarem-se de que têm em mãos os futuros educadores deste país e que é necessário dar-lhes bases (embora a 1ª seja a familiar). Alguns serão certamente futuros líderes, mas é necessário criar líderes conscienciosos que têm que ser acompanhados por docentes que saibam o que estão a fazer (muitos ainda não conseguem mexer numa tecla do computador - que esperam?).
É imperativo que não estagnem, que não façam oposição a tudo (nem tudo está mal), que tenhamos profissionais com vocaçaõ para a Educação e que esta profissão não continue a ser o "caixote do lixo" para todos os que querem entrar.
Há efectivamente bons profs. com quem aprendo muito, mas também reconheço que temos entre nós verdadeiras aberrações que nos denigrem no exterior.
Por uma profissão mais digna, sim, mas com profissionais que dignifiquem a classe.

IC disse...

Cara Rabina
Estou inteiramente de acordo com o que diz.
(Só não estou de acordo com o tratamento "cerimonioso" - sou avó e quase que podia ser bisavó, mas embirro com o meu BI eh eh eh)

rabina disse...

Está bem.
Adorável IC:
Admiro o seu extraordinário espírito jovem.
Continuação de um bom fim-de-semana.

3za disse...

Vim espreitar... Tenho sempre esta saudade das tuas palavras... :)
Muitos beijinhos

Marina disse...

Passo tantas vezes à porta e nem sabia das coisas bonitas que estavam lá dentro!
[É que eu este ano ganhei uma costela Odivelense!]

Já terminou?

Beijinhos e boa semana

PS: Por algum motivo que desconheço, dá um erro e nao consigo registar me no site dos slides...