sexta-feira, março 13, 2009

Para uma pausa

(Fujo à palavra fim e escrevo pausa. Vou tentar sacudir o desencanto)

Caminante, son tus huellas
el camino, y nada más;
caminante, no hay camino,
se hace camino al andar,
Al andar se hace el camino,
y al volver la vista atrás
se ve la senda que nunca
se ha de volver a pisar.
Caminante, no hay camino,
sino estelas en el mar.

Antonio Machado

________
Poema recebido da Amélia Pais

6 comentários:

Fátima André disse...

Até já :)
Beijinhos e bom fim de semana.

Madalena disse...

Alguém te "pegou" o desencanto, Isabel! Tu és uma professora encantada por natureza. Não te deixes abater pela epidemia. beijinhos
(Digo bem, não digo? E eu? Ando para aqui a arrastar a minha carcaça pelos restos da escola qeu já fui!)

IC disse...

Fátima, acho que vai ser um "até já" bastante prolongado. O desencanto é grande. Mas espero melhor tempo.
Beijinhos e bom trabalho.

Madalena, o desencanto está a ser de facto uma epidemia. E eu já não tenho a sala de aula, o que, apesar de tudo, me faz muita falta.
Beijinhos.

Maria Teresa Lopes disse...

Faz-se o caminho a andar, e havia pedras no caminho e estrelas a brilhar.
Ai, os caminhos da vida!

Beijinho

Matilde disse...

Isabel...




O desencanto, tantas vezes, é grande. E pensar a educação sem ter por outro lado a sala de aula, é realmente sobretudo desencanto. Mas há tanto, Isabel... em tantos lados.
E... se alguma vez quiseres vir para os lados de Torres Vedras, arranjo-te com o maior prazer uma turma de alunos para encantar.
Fica o convite. Sem prazos.
;)

Beijinhos.

IC disse...

Teresa,
pois... ai os caminhos da vida... Às vezes caminha-se a olhar para as pedras para não tropeçar e cair e não se desvia o olhar para as estrelas que brilham...
Beijinhos

Matilde, muito obrigada pelo convite tão simpático. Mas, como diz o poema: "y al volver la vista atrás se ve la senda que nunca
se ha de volver a pisar". Temos que desligar do tempo que já passou e seguir os caminhos possíveis que temos para diante, tentando não parar. Há quem goste muito da aposentação, mas eu acho que ainda não me adaptei a ela.
Beijinhos