quarta-feira, novembro 30, 2011

Nas mãos dos professores - provocações à reflexão I

Nota prévia
Os professores estão tristes, como triste está o país. Mas a força do ser humano reside em não desistir. E as nossas crianças e adolescentes precisam de quem não desista deles.
Derrotismo e individualismo abafam a consciência do poder que têm os professores em união e colaboração. Tal como boas medidas políticas para a Educação nenhum efeito teriam sem os professores, também as medidas que desprezam as crianças e jovens sem possibilidade de prescindir da Escola Pública não têm, por si, o poder de impedir o papel do professor e a sua relação com os alunos na sala de aula.
Como  todos os que trabalham, os professores sofrem o roubo prepotente de direitos remuneratórios e o agravamento das condições de exercício da profissão. Mas há duas maneiras de enfrentar as dificuldades. Uma é cada um fechar-se em si mesmo numa rotina entediante dos dias feitos dos gestos obrigatórios; outra é não abdicar da ação que dá sentido à vida e à esperança.
Mais que nunca, os professores que não desistem dos seus alunos são, para as crianças e adolescentes, os imprescindíveis. 

Provocações à reflexão - I

5 comentários:

maa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
3za disse...

Sim sim sim Beijinhos

Anónimo disse...

Obrigada, Isabel! Beijinhos. Eu quero resistir mas está cada vez mais difícil!
Madalena

Anónimo disse...

Muitooooo bommmm!! Obrigada pela partilha! Beijinho
Paula M.

Henrique Santos disse...

:)