domingo, julho 13, 2008

Saturação

Estou saturada de política educativa, de decretos e despachos, de reformas avulsas e de discursos inconsistentes; estou saturada de normas e mais normas, por vezes de constitucionalidade ou legalidade duvidosa; estou saturada de verbalizações de intenções sobre uma escola pública de qualidade, a pretenderem esconder o economicismo, a desconfiança nos docentes em geral e as pressas em melhorar estatísticas que tapam realidades; estou saturada de faltas de rigor, de palavras incongruentes que muito poucos desmontam, de precipitações incompetentes e burocracias desastrosas.

Enquanto isto, a criança espera, entregue a experiências perigosas para o seu futuro, ser abstracto para os políticos e ser concreto para o qual os educadores vão tendo cada vez menos tempo.
Enquanto isto, degradam-se os climas de escola e perdem-se os melhores e mais dedicados professores, sem que se acredite que as medidas tomadas venham a melhorar o trabalho dos que precisam de o melhorar.






Estou saturada, estou farta! Preciso de férias de observar esta política que dura há três anos. Vou, pois, dar férias à minha atenção aos assuntos da Educação. Por enquanto continuo por aqui, mas, até Setembro, quando me apetecer vir ao meu cantinho, será só para trazer ambientes de férias.



Aos amigos e colegas: Boas férias, boa recuperação de ânimo, retemperem bem a vontade de lutar por uma escola pública de qualidade para todos os nossos jovens!

6 comentários:

Miguel Pinto disse...

Enquanto não me desloco com a família e a bagagem até outras paragens, ficarei por cá, impotente, reagindo à destruição da escola pública. Confesso que a energia não é muita e que é preciso renovar, mudar de ares, é necessário uma nova Aragem. Mas nem isso sou capaz: de escrever no nosso Aragem... :( Talvez seja o momento de preparar a pausa desse local arejado... e reunir as "tropas" em meia dúzia de entradas... Que pensas da ideia, IC? Queres lançar o mote? :)

arte por um canudo 2 disse...

Também IC!..Mas somos impotentes para travar esta cavalgada para o abismo.Também estou desiludido, mas que fazer?Ainda vou continuando pela escola com as famosas reuniões para deslindrar todo este processo de normas, decretos, e despachos.Boas férias.

António disse...

Mais um que se junta ao "coro da saturação". Começa a ser muito complicado o optimismo. E se fossemos só nós... Mas a verdade é que vejo o mesmo para onde quer que olhe. Anda tudo nos limites do "estouro". E a "aquela brincadeira" ainda nem sequer começou...
E há tanta coisa por fazer, amigos. Todos nós sabemos como a escola, os nossos alunos, necessitam do nosso vigor e entusiasmo e disponibilidade. O que nos têm feito é um crime sem perdão.
Para a Isabel e restantes, deixo aqui os votos de boas férias. E nunca se esqueçam (como se eu me lembrasse...): a vida não começa nem acaba na escola.

Madalena disse...

Pego nas palavras do António: o que nos têm feito é um crime sem perdão! E dói. Dói porque não é paar ninguém: nem para os professores; nem para os alunos. Mas nada se consegue fazer para mudar. maldita impotência a nossa! Beijinhos, Isabel!

3za disse...

Que dizer? Solidária no sentimento... por vezes descaindo, mas tentando evitar, porque já é desgastante ter de fazer o combate na escola nas reuniões sobre o tema... A teia tem de ter essa função, mas outras também... e eu também preciso de me concentrar noutras coisas perigosamente atrasadas por conta de escola escola e mais escola... e não são boas as razões... Enfim... descansa o possível... E partilha então os ambientes de férias... muitos ambientes que bem precisamos!
Montanhas de beijoquinhas

setora disse...

Vamos de férias, vamos.
É preciso ganhar distância e recuperar energias para o próximo ano. Que a procissão ainda vai no adro!
Boas férias para todos.